Militar

Em 12 de Outubro de 1899, José Botelho de Carvalho Araújo assentou praça na Escola Naval, em Lisboa. Concluíu o curso com a média de 12,45 valores.
Em 1905 entrou para o efectivo de oficiais.

PROMOÇÕES
Guarda-Marinha em 29 de Outubro de 1903
2º Tenente em 1 de Outubro de 1905
1º Tenente em 17 de setembro de 1915
Capitão-Tenente (a título póstumo) em 29 de Novembro de 1918

CONDECORAÇÕES
Medalha de Cobre de Socorros a Náufragos – 14 de Abril de 1910
Medalha Militar de Prata de Comportamento Exemplar – 28 de dezembro de 1912
Medalha de Prata Comemorativa das Campanhas do Exército Português, tendo na respectiva passadeira “Angola 914/915” – 12 de Maio de 1915

A Título Póstumo:
Condecorado com a Cruz de Guerra da 1ª Classe – 29 de Novembro de 1918
Medalha de Prata Comemorativa das Campanhas do Exército Português no Mar 1916/17/18 – 1 de Março de 1919
Condecorado com o II Grau da Ordem da Torre e Espada, por diploma de Concessão de 4 de Dezembro de 1918 – 9 de Maio de 1959

OUTROS FACTOS

– Guia para a Canhoneira “Zambeze” em 1905
– Aumentado ao efectivo da estação Naval da Guiné por se ter apresentado na Canhoneira “Lúrio”, com guia da Canhoneira “Zambeze”
– Nomeado para uma Comissão Técnica de Aquisição de navios em 1912
– Nomeado para integrar a comissão encarregada de estudar a conveniência de se manterem as escolas de Alunos Marinheiros em 1913
– Nomeado para fazer parte da comissão que iria estudar e propor as modificações na lei que criou a Marinha Colonial em 1913
– Integrado na Coluna Expedicionária a Angola em 1914, para onde seguiu no paquete “Beira”
– Serviço no Gabinete do Ministro das Colónias entre 1915 e 1916
– Nomeado para uma comissão que iria estudar o local onde seriam colocados os depósitos de carvão e óleos para os navios da Marinha de Guerra em 1916
– Adjunto do Director dos Serviços do Estado Maior da Marinha por portaria de 2 de Maio de 1916
– Guia para a Divisão Naval de defesa e Instrução, onde seguiu para a Esquadrilha de Patrulhas, para prestar serviço da Superintendência do serviço Naval de Defesa Submarina em Julho de 1916
– Nomeado Comandante do Caça-Minas “Manuel de Azevedo Gomes” em Agosto de 1916
– Guia para a Direcção Geral das Colónias, por decreto de 25 de Novembro, em Dezembro de 1916
– Governandor do Distrito de Inhambane, Moçambique, entre Janeiro de 1917 e Abril de 1918
– Exonerado do cargo de Governador por motivos de doença em Agosto de 1918 (Junta de Saúde em 26 de Junho de 1918)
– Nomeado Comandante do navio-patrulha “Augusto Castilho” em Agosto de 1918
– Morto e desaparecido no combate do Navio-patrulha “Augusto Castilho” com o Submarino alemão “U 139” a 14 de Outubro de 1918

militar-600px